Supergirl: Mulher do Amanhã pode ser o filme mais importante da DC (até agora)

Mundo Nerd ADM
Mundo Nerd ADM

Quase um ano após o anúncio inicial ao público, o universo DC de James Gunn e Peter Safran começa a se materializar. Dez filmes e séries exclusivas do Max estão programados para estrear nos próximos anos, incluindo o aguardado filme live-action “Supergirl: Mulher do Amanhã” (Supergirl: Woman of Tomorrow). Na segunda-feira, houve uma grande atualização sobre o filme, com a confirmação de Milly Alcock, de “House of the Dragon”, no papel de Kara Zor-El/Supergirl, que ela interpretará em todo o Universo DC. Com relatos de que a produção de “Mulher do Amanhã” pode começar ainda este ano, parece que o filme será um dos primeiros lançamentos da DCU e pode se tornar uma das entradas mais significativas até agora.

Baseado nas minisséries em quadrinhos recentes de Tom King e Bilquis Evely, “Supergirl: Mulher do Amanhã” acompanha Kara em um estado emocional único, questionando se conseguirá escapar da sombra de seu primo mais famoso, Clark Kent/Superman. Enquanto viaja pelas estrelas, Kara é procurada por Ruthye, uma jovem ansiosa por vingança pela destruição de seu mundo natal, sendo catapultada para uma série de eventos que mudam sua vida.

Quem leu “Mulher do Amanhã” e apreciou a arte de Evely sabe que a série possui um cenário visualmente ambicioso, tornando a notícia da adaptação cinematográfica especialmente intrigante. Enquanto o primeiro filme planejado da DCU, “Superman: Legado”, abordará o equilíbrio entre o Homem de Aço e sua herança alienígena, ainda não está claro o quanto explorará o cosmos da DCU. “Mulher do Amanhã” provavelmente nos levará a diversos planetas alienígenas totalmente desenvolvidos, podendo estabelecer de forma significativa o “lado cósmico” da franquia. Dada a habilidade de Gunn em explorar o cosmos da Marvel através dos filmes dos Guardiões da Galáxia, é seguro presumir que isso será uma prioridade.

A adaptação de “Mulher do Amanhã” para um filme de ação ao vivo apenas alguns anos após sua publicação é algo sem precedentes no mundo moderno das adaptações de super-heróis. O sucesso do filme pode provar que não é necessário esperar uma vida útil arbitrária antes que uma história em quadrinhos seja considerada digna de inspirar outro meio, o que pode ser relevante para os planos futuros de Gunn e Safran na DCU, além de ajudar a combater a fadiga de super-heróis.

Em relação à fadiga de super-heróis, “Mulher do Amanhã” tem o potencial de oferecer algo distintivo no cenário da cultura pop – um blockbuster de super-heróis que pode ser igualmente acessível, épico e decididamente feminino. Embora o material de origem de “Mulher do Amanhã” contenha sua parcela de palavras e cenas violentas, sua trama e tom estão enraizados em emoções e experiências que as mulheres podem identificar. Embora várias personagens femininas já tenham sido apresentadas na DCU, e o filme da Autoridade certamente equilibrará protagonistas masculinos e femininos, “Mulher do Amanhã” é o único filme feminino atualmente anunciado pelos estúdios da DC. Se o filme for comercializado de maneira adequada, pode atrair facilmente um público feminino mais amplo, afinal, Supergirl como personagem já é um nome conhecido na cultura pop. Embora não espere atingir bilhões nas bilheteiras mundiais ou criar um fenômeno cultural, não é impossível imaginar que “Supergirl: Mulher do Amanhã” ofereça um tipo de catarse cinematográfica semelhante ao fenômeno que Barbie proporcionou no verão passado. Também é vantajoso que, além de uma possível participação especial de Kara de Alcock em “Superman: Legado”, presumivelmente não haverá muita informação adicional que os públicos tradicionais precisem saber antes de assistir a “Mulher do Amanhã”, permitindo que o filme exista como algo singular e divertido. Se tudo se alinhar, “Supergirl: Mulher do Amanhã” pode se tornar algo especial na paisagem em constante evolução dos super-heróis, ajudando a solidificar o grande experimento da DCU no processo.

TAGGED:
Share This Article