Final de Attack on Titan explicado

Mundo Nerd ADM
Mundo Nerd ADM

Depois de uma jornada de 10 anos e passar por dois estúdios de anime distintos, o anime de “Attack on Titan” finalmente chegou ao seu desfecho em 5 de novembro de 2023. O encerramento da série, para o bem ou para o mal, seguiu essencialmente a mesma linha do final estendido do mangá, com algumas pequenas modificações. Portanto, tanto aqueles que leram o mangá quanto aqueles que apenas acompanharam o anime provavelmente terão reações semelhantes à sua conclusão.

Ao desbloquear todo o poder do Titã Fundador, Eren deu início ao Rumbling, enviando seus Titãs ao redor do mundo para eliminar todos fora da Ilha Paradis. Apesar de reconhecerem que o Rumbling é a única maneira de garantir a segurança de seu lar e que não possuem ideias melhores, Armin, Mikasa, Levi e os demais antigos aliados de Eren recusam-se a aceitar o genocídio como solução. Eles unem forças a alguns dos grupos marleyanos para deter Eren.

Muitas outras vidas foram perdidas em sua jornada, mais notavelmente Hange, mas eles ainda chegaram a Eren com a intenção total de detê-lo e salvar o mundo.

Como a batalha final contra Eren começa em Attack On Titan

Na primeira parte do desfecho de “Attack on Titan”, intitulada “A Batalha do Céu e da Terra”, Armin planejou detonar a forma Titã de Eren com sua própria transformação. No entanto, antes que pudesse ativá-la, um Titã semelhante a um okapi o engoliu por inteiro, revelando que Eren havia convocado inúmeros Titan Shifters do passado para enfrentá-los. Isso incluía Titan Shifters mais familiares, como Bertholdt, Galliard e Ymir, e o poder combinado deles impediu Pieck de explodir o pescoço de Eren. A situação parecia extremamente sombria, à beira da morte para todos, mas no último momento, foram salvos por Annie e Gabi voando sobre Falco em sua nova forma de Titã.

Com a situação mais desesperadora do que nunca, a Aliança Global aceitou relutantemente que era imperativo matar Eren. Assim, eles se dividiram em duas equipes: uma para explodir o pescoço de Eren e outra para resgatar Armin. Nenhuma das equipes teve sorte enfrentando os antigos Titan Shifters. Armin lamentou sua aparente inutilidade ao ver seus amigos arriscando as próprias vidas. Nesse momento, enquanto reflete sobre sua própria capacidade de pensar, Armin percebe que foi transportado para a dimensão dos Caminhos, onde encontra Zeke construindo um castelo de areia.

Armin prova que compaixão foi a melhor solução em Attack On Titan

Na segunda parte do desfecho de “Attack on Titan”, intitulada “Um Longo Sonho”, Armin tentou persuadir Zeke a ajudá-lo a deter Eren, mas Zeke já não via mais sentido na vida. Contudo, Armin fez Zeke perceber que a vida se resume às pequenas coisas sem sentido que trazem alegria às pessoas, fazendo Zeke refletir sobre como teria sido feliz se continuasse jogando beisebol com Ksaver. Essa epifania fez com que os espíritos dos falecidos Titan Shifters que apareceram na série se manifestassem, e Armin e Zeke lhes concederam a força para resistir ao poder de Eren e lutar contra ele.

Com os antigos Titan Shifters ao seu lado, a Aliança Global recuperou o ímpeto e enfrentou Eren. Mikasa libertou Armin do Titã okapi, e Zeke permitiu que Levi o matasse, forçando os Titãs de Eren a interromperem o Rumbling. Jean aproveitou essa oportunidade para detonar a bomba ao redor do pescoço de Eren, obrigando a criatura semelhante a um verme, que se uniu primeiro a Ymir Fritz, a se desprender. Armin, então, tentou destruir a criatura semelhante a um verme e Eren com a explosão de sua transformação. Com a morte de Eren e da criatura semelhante a um verme, parecia que a ameaça do Rumbling finalmente havia chegado ao fim.

Morte de Eren e verdadeiro plano em Attack On Titan explicado

Na parte final de “Attack on Titan”, intitulada “Em Direção à Árvore naquela Colina”, Eren e Armin encontraram-se nos Caminhos, onde Eren revelou seu desejo de que seus amigos se tornassem heróis ao derrotá-lo, ganhando respeito suficiente para proteger a Ilha Paradis. Ele também expôs que tudo estava predestinado e elaborado para libertar Ymir Fritz de seu amor pelo Rei Fritz, sendo Mikasa a chave para realizar tal feito. Armin repreendeu Eren por manipular os sentimentos de Mikasa, e Eren admitiu não querer morrer, mas também afirmou que era tarde demais, especialmente considerando como o Rumbling havia dizimado 80% da humanidade fora da ilha.

Armin ficou horrorizado, especialmente surpreso com a afirmação de Eren de que esse era o único caminho após experimentar inúmeros cenários diferentes. Ele criticou o plano de Eren, destacando como isso só pioraria as coisas, e Eren admitiu que afirmou ser inevitável porque ele próprio não conseguia mudar o curso dos acontecimentos. Em um ato final de compaixão, Armin assumiu a responsabilidade de fazer com que Eren se importasse com o mundo exterior em primeiro lugar, assegurando que estariam juntos novamente no inferno. Após um último abraço, Armin retornou à realidade para confirmar a morte de Eren.

TAGGED:
Share This Article