Windows 10 – Análise


Até 2012 a Microsoft reinava o mundo da computação pessoal com o Windows. Mas isso estava pra mudar… A Apple com o iPad e o Google com o Android e o Raspberry PI amadureciam uma revolução contra esse reinado.
A Microsoft reagiu tentando fazer com que o Windows tivesse um kernel único em vários sistemas. Prova disso foi a aquisição da Nokia. Lançou o Windows 8, uma resposta ao Android e ao iOS em uma tentativa de entrar no mercado de dispositivos móveis, um SO com sandboxing de aplicativos, administração agressiva de energia, tempo de boot reduzido, mais eficiência no uso de memória e CPU, etc.
Embora fosse um excelente SO o Windows 8 pecava em sua complexa interface, tudo isso com a errônea ideia de que se o layout do SO para desktops fosse semelhante ao de dispositivos móveis, os usuários teriam mais facilidade de escolher um dispositivo que rodasse com o mesmo layout. Mas nem sempre as coisas acontecem como planejado… A nova interface desagradou o usuário comum, tornando o SO um fracasso mercadológico.
Corrigindo o “erro” a Microsoft lança o Windows 10, que volta a interface clássica quase como o cão arrependido do Chaves. O Windows 10 traz a Modern UI do Windows 8 dentro do já conhecido e amado Menu Iniciar e faz com que os programas, mesmo os da Modern UI, abram com barras de redimensionamento e não ocultem a Área de Trabalho. Essa era uma das principais reclamações dos usuários do Windows 8.
Os ícones com design flat do Windows 8 permanecem no 10, assim como a capacidade do SO de se ajustar automaticamente a telas diferentes. A Modern UI pode ser ativada ou desativada pelo usuário, a menos que o usuário esteja usando tablets. Nesse caso o Windows 10 ativa essa opção.

A nova barra “Central de Ações” possui opções básicas, avisa se muitos programas estão sendo iniciados em segundo plano.

No novo recurso de Áreas de Trabalho virtuais, a barra inferior mostra os softwares rodando na área de trabalho atual e o alt+tab alterna entre programas do desktop selecionado. Essa opção pode ser alterada apesar de ser mais interessante para organização.

O controle sobre a organização das janelas foi melhorado. No Windows 10 a tela é dividida em quatro partes. Arrastando a janela para um dos cantos da tela, ela se ajusta automaticamente ocupando ¼ da tela. Além de oferecer redução do tamanho da janela caso o usuário mova uma janela para uma área já ocupada.
Com o layout consagrado o menu iniciar teve a opção de busca aprimorada estando visível mesmo antes que se clique no botão Windows. A Central de Ações teve o ícone exaltado tornando-o mais visível. Tudo é mais fácil de encontrar no Windows 10.

Ele oferece muitas opções de customização. Na barra de notificações pode-se ser adicionadas 4 atalhos para ações rápidas e as notificações pode ser desativadas ou ativadas.

O Windows 10 pode ser iniciado em modo tablet ou desktop. Os atalhos do menu iniciar podem ser agrupados ou renomeados. As cores do sistema também podem ser alteradas facilmente. Todas essas opções tornam o Windows 10 mais acessível do que a versão 8.

Desempenho e gráficos
O Windows 10 possui a mesma performance que o 8, em testes de multitarefas as diferenças entre os dois SOs é muita baixa, e está preparado para receber aplicativos com base para o DirectX 12, API exclusiva do Windows 10.
Uma das vantagens do DirectX 12 é a programação de baixo nível que permite acesso à funções do GPU sem a camada de abstração, tornando o código mais leve. Além do uso eficiente de múltiplos núcleos do processador. Essas características garantem ganho de desempenho em jogos e outros softwares.

Segurança
Softwares Win32 serão atualizados automaticamente, mesmo que os usuários não ordenem isso, além de rodarem em uma sandbox.

O novo Device Guard, para versões enterprise, impede que softwares desconhecidos ajam independentemente. O Device Guard funciona independente do kernel, o que o permite que ele seja executado mesmo se o sistema estiver comprometido.

O Windows Hello permite o uso de vários métodos de biometria (impressões digitais e reconhecimento facial) e está mais confiável e acessível ao usuário comum.

Edge

imagem: divulgação
imagem: divulgação

O Edge, novo navegador da Microsoft, é mais rápido que seu antecessor (IE11). E está pronto para concorrer com Chrome e Firefox (ou não). Contudo, o navegador não dá suporte a extensões por enquanto.

Cortana
Sistema de busca por voz ainda não está disponível em português. Idiomas compatíveis (chinês, francês, alemão, italiano, espanhol e inglês)

 

Prompt de comando

O Prompt de Comando agora permite o uso de ctrl+c / ctrl+v. Se um texto de comando for colado, o novo CMD filtra o que não é suportado.

 

Mídia
O novo Media Player oferece suporte a loja do Windows onde filmes e músicas podem ser comprados, além de trazer muitas opções de organização.

Utilitários
Calendário e calculadora ganharam novo visual.

Esse foi um pequeno resumo das muitas novidades do novo Windows 10. Encontrou algo que acha que merecia ser citado? Compartilhe sua opinião.

What's Your Reaction?
OMG OMG
0
OMG
LOL LOL
0
LOL
Cute Cute
0
Cute
Raiva Raiva
0
Raiva
Nerd Nerd
0
Nerd
Amei Amei
0
Amei
WTF WTF
0
WTF
Win Win
0
Win
Fail Fail
0
Fail

Deixe uma resposta

Windows 10 – Análise

log in

reset password

Back to
log in

Hey there!

Sign in

Forgot password?
Close
of

Processing files…